Seja bem-vindo.

Aos poucos deixarei aqui algumas impressões. Talvez o meu mundo seja parecido com o seu. Nele, uma grande luz brilha, cada dia mais intensa. O "Sol da Justiça", tão fácil de explicar, tão difícil de entender. Não sejam as minhas palavras, mas uma brisa que alivie o estado ruim de nossas almas.


segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Salmo 2011

Concede-nos Senhor habitar em teu reino,
pois nos apaixonamos por tua perfeição.
Tu és o que não conseguimos ser,
entretanto o seremos, se quiseres.
Aguardamos a este dia desde
que nos anunciaste tua salvação.
Teu nome esta sobre nós pois Tu nos poupaste.
A cada manhã vemos o pão sobre a mesa, 
o preparaste para que nos lembremos de ti,
que não estamos sonhando.
Verdadeiramente Tu és O Altíssimo.
Verdadeiramente nos amas.
Verdadeiramente.

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Tao e Quao

se caminhamos com o sol às costas
sempre teremos à frente sombras.
se escolhes o caminho do vento
este para longe te levará.
contra a natureza se batalha por um tempo,
no tempo da natureza.

cansado te entregas à morte que não existe,
te entregaste ao cansaço apenas.
não há pressa ou brevidade
no movimento que te faz você.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

O MONTE

Não quero mais o infinito
Desisto de quase tudo, estou enjoado
Daquilo que não cabe em mim.
Obtuso, abjeto, pontiagudo, sem nexo
Estou cansado do vasto, do complexo.

Troco a vertigem e o vício,
A confusão dos debates me enlouquece.
Abstenho-me, chega de ponderar sobre o abismo
O irreal e vertiginoso abismo adoece-me
e não toco-lhe jamais com os pés.

Adeus à caixa de brinquedos velhos
Deformados para impressionar, não suporto,
Peso da alma e enfado, velhas correntes,
Nós sem fim, borrão de tinta no imprestável.

Há um tesouro genuíno, oculto aos sábios
Há uma forma sem arestas, uma pérola
Pequena e perfeita idéia, sem conflitos
A simples verdade, inerte, modesta
Do silêncio, da calmaria, da brisa
Incapaz de hostilizar, seu poder é ser por si.

Não há o que contestar
Diante do imenso, infinito monólito
Os cegos o apalpam
Os dóceis vagueiam em sua sombra
Os tolos tropeçam
Os obstinados dão-lhe com a cara.
Todos circundam o monte
Que proclamamos ser o muro
Dado seu diâmetro
Cada ser toca-lhe uma parte
E por parecer tão enojante a idéia
De uma vida tão plena e simples
Muitos se afastam
Desejam jamais ouvir a sua voz.

Coloco-me a contemplar as minúcias
Com o carinho que é devido a tal enigma
E em cada tábua estendida
Pelos homens chamada a sua
Única, indizível
Vejo as mesmas marcas, são unas
Multiformes emanações da mesma graça.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

vai lá saber qual é

Por estes dias, ouvir-se é raro. Não é um som. Você precisa virar-se e olhar nos olhos. Você precisa ser livre para mover a cabeça e depois os pés. Mas o medo enrijece. Para seguir no movimento que te guiará ao Éden, seja a tua própria alma a sussurrar uma verdade. Que a morte é nada pois não há tempo. Rasga tuas pálpebras, olha para a vida, agarra o intento, se dele houver honra, justiça ou alento.

é nozes !


terça-feira, 22 de maio de 2018

Namorados

Ter o ser por ser o ter
E sermos os sonhos
Do outro em nós realizados
Materializados no elo
No selo deste novelo de duas cores
Que jamais poderemos desenramar
Sem que se rompa o nó essencial.
Não será rompido
Será eterno
Enquanto durem os nossos nomes
E não deixemos de dizer:
Meu deserto é fora de ti, sou seu
Deserto e sem ti, oásis
Jamais serei bom.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

2020, acordo de paz?

O fraternal Papa Franscico está trabalhando para o ecumenismo mundial e por isso se encaixa nas profecias como o "falso profeta". As igrejas evangélicas filhas da Babilônia acham ótimo. União em nome da paz. O anticristo será um judeu que firmará o acordo para a construção do 3º templo em Jerusalém. Uns dizem ser Jared Kushner, outros que é Emmanuel Macron. Ambos tem o perfil necessário e estão trabalhando no acordo, mas podem ser apenas a preparação para que o "filho da perdição" se manifeste. A ele, satanás dará poder para enganar e dominar sobre a humanidade. Após sete terríveis anos, eis que virá o verdadeiro Rei da terra, o Cordeiro de Deus, o qual reinará em submissão ao único que é digno de adoração, o Eterno, Senhor dos senhores, Rei dos reis e Deus dos deuses. Bendito seja! Reinará por mil anos, depois é o dia do julgamento: "E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida. Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho. Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte." Apocalipse 21:1-8

domingo, 1 de abril de 2018

Messias hebreu da pele escura. Quero ser seu amigo. A vitória no madeiro, é a vitória que desejo. Enfrentaste a morte, revelando o que é ser livre. Com medo da morte as pessoas cometem seus maiores erros. "O perfeito amor lança fora todo o medo". Só é possível pela fé. A mesma que levou Abraão ao monte da adoração, pois acredita que pertencem ao Criador a vida e a justiça. Neste Pessach, livra-nos do medo, aumenta a nossa fé. Pessach é ruptura com os velhos erros. Somente ao Criador seja a adoração, pois ele fez homens, mulheres, pretos, amarelos, brancos e suas misturas sem fim em iguais. Todos precisamos de perdão.

domingo, 18 de março de 2018

it's the deal

Entenda um pouco mais do jogo. Investem pesado contra a verdadeira inteligência. Soberania ao sul do Equador é mito. Liberdade, igualdade e fraternidade? Piada. Gente nobre, esclarecida e benevolente? Só na ilha do bananal.

calmaria, filhos, sobrinhos e OVNIS

Virá um ET. Sem brincadeira. É sério. Amigo do George Soros. Ele será socialista, ecumenista e conhecedor de ciência muito avançada. Fará a paz entre oriente e ocidente. O Islão o conhece por Madhi. Ele não exigirá fidelidade. As pessoas o seguirão voluntariamente. Ângela Merkel e Emmanuel Macron estão preparando sua ascensão. Papa Francisco o apoiará, afinal todos terão direitos iguais. Trump ajudará a construir o seu palácio. O mundo vai prosperar. Parece um sonho mas vai acontecer. Sério. Este ET é um monstro de outra dimensão. Em aparência humana, convencerá as pessoas a exterminar os opositores. Adolf Hitler e outros fascistas fizeram isso. O caminho seguro é o amor em família, o respeito aos pais, a dedicação aos filhos, a fidelidade nos contratos, a compaixão com os aflitos. Se você lutar, sem subterfúgios, para ser o herói dos seus filhos, então a recompensa é o equilíbrio, a harmonia e a paz que transcende o tempo. Parabéns pela vitória, Gabriel, homem forte da parte de EL, uno, eterno, alvo imutável de quem ama a justiça.

Crime desorganizado

Sobre os quarenta e tantos mil óbitos e tantos outros invalidados pela violência no trânsito? Todos os infratores, nós muitas vezes e todos que se omitem, fazem parte do problema. Conversar é a solução. Divulgue.

Alerta vermelho

Faz sentido para mim que a globalização deixa de ser uma ameaça ao establishment financeiro se as nações forem frágeis. Minar qualquer patriotismo é o objetivo da ONU. A ONU, e afins, recebem dinheiro de quem? Os líderes dos países "democráticos" são continuamente financiados para trair o seu povo. Não há poder na terra que faça frente aos donos do mundo. As mesmas famílias que lucraram geração após geração, comprando monarcas, sustentando ditaduras e mais atualmente elegendo políticos. São deles as guerras mundiais, a imprensa, as pesquisas científicas, a web, o veneno e o antídoto. Se você não espera na justiça divina, porquê ainda vive?

segunda-feira, 5 de março de 2018

É cumenismo mesmo!

Estou aterrorizado. Os bárbaros, que cometiam suas barbáries em pequenos quartinhos de empregadas, nos fundos de quintal espancando crianças, nas negociatas em desfavor do mundo pobre, no submundo em desfavor de qualquer um, agora cometem suas barbáries em qualquer lugar. Para os que chegaram a sonhar com civilização foi um espanto. Para os marginalizados, mais do mesmo. Só estou achando difícil, por falta de costume, levantar o tacape sem que tremam as minhas mãos.
                                                                  

sexta-feira, 2 de março de 2018

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Capitão Fantástico - 2016.

Ben, filho da terra e pai. Pai de iguais, pai ou mãe. Os vivos sofrem. Em união, com doçura, pois há riqueza. Conexão. Sua falta leva à perdição. Aquele que se isola conspira contra a verdadeira sabedoria (provérbio, Tanach). Riqueza que precisa fluir, seguir seu caminho até o todo. Até a sublime realidade permanente. O pensamento em ação. Tudo que existe, existe na mente do Criador e Mantenedor da existência. A quem estás conectado? E estes a quantos levaram sua memória?
Atuações perfeitas sob a direção de Matt Ross. Filme porreta que vale assistir. Doce criança, vivo por você.

Mingauzinho de merda.

Quer saber no que estou pensando? Que indiscrição. Mas te digo, como quem já não suporta este mingau que cuidas uma vez mais deitar-me à boca. Mingau de fezes requentado. Penso no que pensam os vivos. Penso no futuro. Na ficticiosa paz, passos finais do guerreiro. No terror que antecede a escuridão. No ajuntamento das terras, na odiosa festa, na exaltação do chefinho, na injustiça, na injustiça. Penso na injustiça e em mais nada. Por isso não quero pensar. Quero agir. Nada sei senão a violência mas dela fui privado. Acorrentado, evoco a súplica dos mártires. Que os leões estejam com muita fome. Embriaguem-se os convivas enquanto distancio-me silenciosamente em águas de mansidão.

Neste canal tenho encontrado um contrapondo ao que acredito. Como uma esponja, acredito nas idéias de vanguarda torcendo pelas mudanças e odiando o passado. Mas será isso bom? Tirando a citação ao Bolsonaro a quem desprezo, ser de direita é ser mal e retrógrado? Creio no Deus de Israel. Sei que por sete anos haverá o domínio do anti-messias. Sei que há uma plano em execução e que crentes na Torah serão odiados. Agora faz sentido. Respeito a quem discorde mas acabei de me tornar patriota por uma questão de justiça.




" Eu sou completamente insano!!! Rá rá rá rá !!! " Mr. Pelapele Danaudo Prego

Para a alegria dos discípulos do rabino conhecido pelo nome "Jesus".

Preâmbulo indispensável a qualquer debate construtivo.

Não se pode servir a dois senhores

Festa estranha com gente esquisita...

cultura de emponderamento, isso sim.

Canto eu canta você...

a dança da solidão...               Caso o link fique indisponível:

O texto abaixo é de João Pereira Coutinho - Escritor português e doutor em ciência política.
E que tal um ministro para a solidão? Não é ideia minha. Já existe. No Reino Unido, a premiê Theresa  May considerou a solidão "a mais triste realidade da vida moderna". Para combater esse mal, indicou a ministra Tracey Crouch para "desenvolver" uma "estratégia" adequada. / Confesso que a ideia me parece absurda. Tão absurda como haver um ministro para a tristeza ou uma ministra para o fracasso. Razão óbvia: Theresa May está errada quando acredita que a solidão é uma "realidade" moderna. Não é. / A solidão, tal como a tristeza e o fracasso, faz parte da condição humana, provavelmente desde o momento em que os membros da espécie tiveram consciência de si próprios. / A solidão não tem "cura" porque, em rigor, não é uma doença. Exceto para a tradição racionalista —antiga e moderna— em que Theresa  May, ironicamente tida por "conservadora", se inspira. / Sobre o racionalismo antigo, não é preciso um conhecimento íntimo de Aristóteles para lembrar o seu argumento político primeiro: o homem é um animal social. O que significa que o reverso desse desígnio só é admissível se estivermos na presença de deuses ou bestas. / Por outras palavras: viver é viver em sociedade, participando nos assuntos da cidade. Eis a célebre "liberdade dos antigos", na definição posterior de Benjamin Constant (1767-1830): para os antigos, os homens só são livres pela submissão dos interesses individuais às necessidades da comunidade. / Claro que o cristianismo introduziu nesse conceito de liberdade uma mudança relevante, ao proteger a inviolável (e solitária) "liberdade interior" dos homens —e, no limite, o direito dos mesmos em repudiarem a cidade terrestre. / Mas o racionalismo floresceu e triunfou a partir de inícios do século 16: se todos os problemas humanos têm solução, o desafio passa por encontrar a "técnica" adequada para responder a tais problemas. "Ministério da Solidão" poderia perfeitamente ser o título de um livro de Francis Bacon (1561-1626). / Mas Theresa May também está errada por outro motivo: e se o grande problema da "vida moderna" não for o excesso de solidão, mas a sua escassez? / Essa é a tese de Michael Harris em "Solitude: In Pursuit of a Singular Life in a Crowded World". O livro é mediano, confesso, mas existem duas ou três observações que merecem leitura e concórdia. / A primeira delas é que a "vida moderna" é uma gigantesca conspiração para abolir a solidão. Basta escutar os desejos utópicos de um qualquer Zuckerberg ensandecido: para os novos profetas do Vale do Silício, o ideal a atingir é um mundo de conversas contínuas, em que a privacidade não passa de uma relíquia —e todos podem espionar todos. / Alguns números: em 2006, 18% da população mundial estava ligada à internet; em 2009, 25%; em 2014, 41%. E, para ficarmos nas "redes sociais", 8% dos americanos frequentavam esses espaços virtuais em 2005. Em 2013, o número andava nos 73%. Em breve, a "conectividade permanente" não será apenas total; será totalitária. / Infelizmente, essas quimeras de "conectividade permanente" nunca questionam qual o preço que pagamos pela perda de solidão. Para Michael Harris, o prejuízo é triplo. / Sem uma boa dose de solidão, perdemos o tempo de quietude no qual as melhores e mais inesperadas ideias acontecem. / Sem uma boa dose de solidão, somos incapazes de entender o que somos e não somos —no fundo, o ponto de partida para haver um ponto de chegada que seja significativo e real. / Sem uma boa dose de solidão, nem sequer ganhamos o que de mais importante podemos oferecer aos outros: uma disponibilidade genuína e limpa de ruído. / No Reino Unido, Theresa  May quer combater a solidão. Se o objetivo do governo for ajudar os abandonados, os doentes e os desprovidos, nada a opor. Para os restantes, talvez fosse mais útil ensinar que a solidão não é uma anormalidade; é parte do que somos. Mas não apenas do que somos; também do que precisamos. / De igual forma, mais importante do que abolir a solidão é aprender a viver com ela; a habitá-la com os instrumentos de uma cultura —a fruição da beleza, da memória, do pensamento; a tratá-la pela segunda pessoa do singular. Quem sabe? / Pode ser que, um dia, o medo da solidão se transforme em gratidão sincera por termos encontrado a nossa companhia.

Roooooot brow

Senti uma grande necessidade de começar uma nova história mas não tinha ideia do nome. Há um tempo entendi minha afinidade com o número dois. Nas diversas línguas semitas, Beit, a segunda letra, significa casa. Então BEIT NEPHAR, "casa ferreiro", em homenagem aos Semitas da atual Turquia que migraram para a Etrúria, na península Itálica, por volta do séc.VIII a.C.; precursores da Idade do Bronze, segundo consta prezavam pela higiene e valorizavam a individualidade da mulher.
                                                                    Benefácio Birreme

Face

quando o livro das caras estiver parecendo o caderno dos bundas, então virá o fim (Pirolino Viscoso).

Naturalmente bom.

Veja a história, se é verdade não sei. Que os etruscos eram amigos das etruscas e os cínicos eram amigos dos cães. Talvez porque os etruscos vieram da Lydia e os cães das cadelas.
Arqueologia Etrusca

crossover

Andei pensando em mudar de nome. Já que a gente muda todos os dias, porque não mudar de nome? Mudam-se, assim espero, os adjetivos. Mudam-se freneticamente os verbos. Porque não mudar o nome para aquele que eu quiser ser? Muda-se logo hoje para amanhã a gente ver no que dá; e se não deu, a gente muda de novo, como mudam as flores e as penas e tudo fica feliz pois continua como sempre foi.
                                                                         Etruscão, o cínico.

Lava o meu interior.


O MAIS PRECIOSO DOS HOMENS

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Alma

O que toca a alma
O que à alma toca
É o belo que procuram
Que encontra
Quem evoca
De si um fluido singular
De pureza, de vagar
Nos olhos da alma
Na busca sem objetivo
Do objeto que vivo.

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Cataclismo

Nunca houve um lugar feito pra nós, senão na natureza, um a-lugar.
Naqueles fundões da serra havia paz.
Só ali, em nada mais.
O sinal pesava, um estigma.
Sois descendência maldita de Caim?
A quem não se pode matar, vive para sentir
e quanto mais sente, menos vive?

Olhamos para o céu de galáxias
e nos lembramos da história da cegonha,
conclusão científica avançada.
Responde plenamente aos surdos.
Mudos ficamos de vergonha.

A pergunta, um sino, o convite.
Um contato imediato em qualquer grau,
martelando um quem-sou-eu insistente
na consciência, bigorna ferramental.

Sem pressa embarcamos
por engano em qualquer trem;
em um chorar, que faz sorrir...

Nas nossas lendas, nos luais
perto do fogo, da chama crepitante,
sombras de dúvida nas pedras emanante,
suscitam formas na parede do pensar.

O sibilar carbonizante de um inseto
desperta horrores projetis de um passado,
este zuir nossa psique tem formado,
diapasão dos atos falhos das nações.
Desmontador de idéias, reconstrutor de ideais,
que pode o fogo doutra forma fazer mais
que o já feito na fornalha das prisões?
... desfaz-se o sonho na ruína da inocência.
Há então os que mergulham em um transe infinito
e se fecham em uma urna, são póstumos.
Também os que se movem, transitam
eletro-ligados na malha das ruas,
curto-circuitados no vórtice das vagas,
indistinguivelmente preparados para a janta.
Em joules ponderados por cabeça a circular na praça,
se jantam, jantares; uns canibais deformados pela modernidade,
de suas torres espreitam, bocas cheias de sangue, olhos vermelhos.
Enfim, existem os que buscam.
Se existem, se buscam, se acham.
Existem pois os que acham.
Existem pois os que buscam.
A certa altura pedimos...
Certamente não somos deste mundo,
uns passarinhos a mirar o céu do chão
ansiosos, veio o sol do meio-dia
arrancou-nos lentes de magia,
transformou o nosso céu em negridão.
Enxergamos algo além num ato insano,
na irreal profundidade: um ventre humano,
a super-lenda, sumo logos, se revela.

Ou te devoro, eis-me aqui sou eu a carta,
indecifrável, louca mansa, humilde escândalo;
eu sou um poço, sou abismo, sou escada,
o fim das coisas, o divino e o profano.
Sou manuscrito de etéreo remetente,
do ser supremo para o insólito, molecular;
da imensidão dos astros analógicos,
transfigurado para o homem digitar.
Forma-se já, assaz sutil redemoinho,
não sentes este vento a circundar?
É o cumprimento da promessa, a grande nave
em sua marcha sobre a terra irá ceifar.
Agora entendo em uma parte tudo isto,
tais asas, atrofiadas, não sou daqui!
Por ora voz, uma semente, neste esterco,
aqui lançado a decompor e a pruir.
Que apodreçam todas as cascas, sejam moídas.
Predestinadas, sois nada mais que vaidade.
Sois escolhidas sim, como a erva no terreiro
fostes colhidas pra secar sem piedade.
Toda esta terra assim geme, inconsistente
na ânsia louca de ficar e de partir.
Faz-se a mitose, paradoxo latente
em cada ser que ao brotar faz esvair.
“Ficam a fé, a esperança e o amor.
Porém o maior destes é o amor”.